O nosso plano de estudos

CEF
Você
Nós

O nosso plano de estudos é elaborado a partir de três fontes. A primeira e mais importante é o Quadro Comum Europeu de referência para as línguas. Este sistema proporciona diretrizes para descrever as conquistas dos alunos (o o que os alunos «podem fazer». O seu principal objetivo é proporcionar um método de aprendizagem, ensino e avaliação que se aplique a todos os idiomas na Europa.

Este sistema parece-nos muito útil e por isso é que o adotamos na IH Belfast. É uma forma muito prática de avaliar o nível atual dos nossos estudantes. Ajuda-nos a nós e a si a supervisionar os seus progressos à medida que melhora o seu inglês nas nossas aulas.

Os níveis descritos são os seguintes: A1 (Beginner), A2 (Elementary e Pre-Intermediate), B1 (Intermediate), B2 (Upper Intermediate), C1 (Advanced), C2 (Proficient).

Para cada nível, o Quadro Comum Europeu de referência proporciona um plano de estudos (o conteúdo do curso) que determina o que ensinaremos. Verá que este conteúdo do curso é muito prático e se centra no que os alunos «podem fazer» em cada nível. O mais importante não são os conhecimentos teóricos, mas a capacidade de utilizar o idioma de forma eficaz.

As afirmações sobre o que «pode fazer» baseiam-se na capacidade com o idioma e em como desempenha as quatro habilidades principais. Por exemplo, é capaz de pedir toda a informação que necessita para preparar uma viagem à Irlanda do Norte? É capaz de entender uma conferência sobre um tema que lhe interesse? Fazem falta muitos conhecimentos de vocabulário e gramática em ambos os casos, e os seus professores irão ajudar, mas cada idioma deve ter uma finalidade ou um contexto.

De seguida, mostram-se algumas das afirmações que começam com «posso» para B1.

Expressão oral (interação e produção)

  • Posso contar detalhadamente experiências e descrever sentimentos e reações.
  • Posso parafrasear oralmente fragmentos curtos de texto escrito de forma simples, utilizando o redatado e a ordem do texto original.
  • Posso fazer frente à maioria das situações que possam surgir ao fazer preparativos de viagens com uma agência ou durante a viagem.
  • Posso pedir e entender indicações detalhadas.
  • Posso expressar e reagir perante sentimentos como a surpresa, a felicidade, a tristeza, o interesse e a indiferença.
  • Posso expressar conformidade e inconformidade com um argumento de forma educada.
  • Posso contar uma história.
  • Posso descrever sonhos, esperanças e ambições.
As afirmações que começam com «posso» são muito práticas, mas evidentemente, necessitará conhecimentos linguísticos para poder levá-las a cabo. Com frequência, uma afirmação que começa com «posso» muito simples requer muitas estruturas gramaticais e muito vocabulário. Na IH Belfast ensinamos a gramática e o vocabulário de que necessita para poder fazer todas estas cosas tão úteis. De seguida, mostra-se um exemplo para o nível B1 de algumas habilidades linguísticas que necessitará para «descrever sonos, esperanças e ambições».

Gramática

  • Future forms with will (future perfect, future continuous etc.)
  • Going to (for intentions)
  • Modals for probability (It could be, I might etc.)

Vocabulário

  • I hope to/I wish to/It has always been my dream to….
  • to push yourself
  • to be determined
  • ultimate goal (collocations)
  • pipe dream
  • be the making of sb (idiom)
  • hit the ground running
  • a thing worth doing
  • to come into your own
  • to live up to sth

Pronunciação

  • I will have finished
  • He’ll no doubt be successful
  • I’ve always wanted to
  • Posso explicar os meus planos, intenções e ações e contar os motivos.
  • Posso contar o argumento de um livro ou um filme e descrever as minhas reações.
  • Posso iniciar, manter e fechar uma conversa simples, cara a cara, sobre temas que conheço ou me interessam.
  • Posso manter uma conversa ou debate, embora às vezes possa ter dificuldades para dizer exatamente o que quero.
  • Posso dar ou pedir pontos de vista e opiniões pessoais em conversas informais com os amigos.

Compreensão oral

  • Posso seguir de forma geral os pontos principais de uma conversa geral que ocorra à minha volta, sempre que exista de forma clara e num dialeto padrão.
  • Posso ouvir um relato curto e formular hipóteses sobre o que ocorrerá de seguida.
  • Posso entender informação técnica simples, como um manual de instruções de um eletrodoméstico.
  • Posso seguir uma pessoa que me fale claramente numa conversa normal, embora por vezes tenha de pedir que me repitam algumas palavras ou frases concretas.
  • Posso entender os pontos principais dos noticiários da rádio e material gravado simples sobre temas que me interessam pessoalmente se a pronunciação for relativamente lenta e clara.
  • Posso entender os pontos principais de programas de TV sobre temas que conheço quando a pronunciação é relativamente lenta e clara.

Compreensão de leitura

  • Posso entender os pontos principais de um artigo de imprensa curto sobre temas da atualidade e que conheça.
  • Posso ler na diagonal textos curtos (ex. resumos de imprensa) e detetar os factos e a informação mais relevantes (ex.: quem fez o quê e onde).
  • Posso entender a informação mais importante em folhetos informativos curtos e simples.
  • Posso entender mensagens simples e cartas padrão (ex. de empresas, clubes ou autoridades).
  • Posso ler colunas ou entrevistas nos jornais e revistas em que alguém adote uma postura sobre um tema da atualidade ou notícia e compreender o significado geral do texto.
  • Posso adivinhar o significado de palavras desconhecidas pelo contexto e deduzir assim o significado das expressões quando conheço o tema.
  • Nas cartas privadas, posso entender as partes que fazem referência a eventos, sentimentos e desejos o suficiente para manter uma correspondência regular com um amigo.
  • Posso entender a trama de uma história estruturada de forma clara e reconhecer quais são os episódios e eventos mais importantes e pelo que são relevantes.

Expressão escrita

  • Posso escrever textos ligados simples sobre diversos temas num campo do meu interesse e posso expressar pontos de vista e opiniões pessoais.
  • Posso escrever textos simples sobre experiências ou eventos, por exemplo sobre uma viagem, para o jornal de uma escola ou a newsletter de um clube.
  • Posso responder por escrito a anúncios e solicitar informação mais completa ou mais específica sobre produtos (ex. um carro ou um curso académico).
  • Posso transmitir (por fax, email ou numa circular) informação curta simples a amigos ou colegas ou pedir informação por estes meios.
  • Posso escrever o meu CV em formato resumido.
  • Posso escrever cartas pessoais a amigos ou conhecidos para pedir ou dar-lhes notícias e contar acontecimentos.
  • Posso descrever numa carta pessoal o argumento de um filme ou um livro ou contar como foi um concerto.
  • Numa carta posso expressar sentimentos como pena, felicidade, interesse, arrependimento e simpatia.

Estratégias

  • Posso repetir parte do que disse outra pessoa para confirmar que nos entendemos.
  • Posso pedir a outra pessoa que esclareça ou desenvolva o que acaba de dizer.
  • Quando não encontro a palavra que quero, posso utilizar uma palavra simples que signifique algo similar.

Qualidade da linguagem

  • Posso manter uma conversa de forma fluida, mas tenho que parar e planificar e corrigir o que digo, especialmente quando falo livremente durante períodos longos.
  • Posso transmitir informação simples de relevância imediata e expressar o argumento que creio que é mais importante.
  • Tenho vocabulário suficiente para me expressar com algumas perífrases sobre a maioria dos temas relacionados com a minha vida quotidiana, como a família, os hobbies e interesses, o trabalho, as viagens e a atualidade.
  • Posso expressar-me de forma razoavelmente precisa em situações familiares ou previsíveis.

Cada estudante tem prioridades diferentes. Por isso, é importante que comunique com o seu professor e indique em que áreas prefere centrar-se. Pode utilizar a seguinte tabela para saber o que quer abranger na aula. Preencha a tabela e entregue-a ao seu professor no final de cada semana. Mostre-se ativo e participe na sua aprendizagem!

Análise semanal das necessidades

Expressão oral Compreensão oral Compreensão de leitura Expressão escrita
Porque necessito / quero…
(Exemplo: abrir uma conta bancária). (Exemplo: fazer uma chamada). (Exemplo: ler as notícias locais). (Exemplo: escrever uma carta de queixa).
Este estudante necessitaria expressões para realizar petições e um pouco de vocabulário bancário. Este estudante necessitaria rever a linguagem do telefone, expressões que utilizamos e que são específicas do inglês, ex.: «this is» em vez de «I am…». Este estudante talvez necessite habilidades para deduzir o significado pelo contexto. Talvez lhe fosse favorável realizar análise da formação de palavras, etc. Expressões para queixar-se com uma linguagem formal. Talvez aprender como redigir e estruturar uma carta formal, o que deve incluir no primeiro parágrafo, por exemplo.
O mais difícil para mim neste caso é…
(Exemplo: pedir às pessoas que repita porque não as entendo) (Exemplo: entender as pessoas quando não as vejo) (Exemplo: encontrar um artigo de que goste e com que possa aprender) (Exemplo: ser educado mas firme)
Esta pessoa talvez precise de ideias para pedir esclarecimentos, expressões como «do you mean that…» ou «so you’re saying…». Revisão de expressões e funções telefónicas típicas e algumas expressões para pedir esclarecimentos: «could you say that again?» «the line is very bad». Ler por alto, pesquisar o essencial, compreender o significado geral do texto a partir da sua composição. Todas as partes superficiais de uma leitura. Linguagem funcional e formal comparada com a linguagem informal.

Isto é o que pode fazer

  • Iremos entregar-lhe uma pasta de estudo para todo o seu material. Terá de mantê-la atualizada. Este será o seu livro de texto.
  • Arquive o seu material por semanas. Deste modo, poderá ver como todas as suas atividades estão relacionadas para que possa conseguir os seus objetivos semanais. Receberá uma folha de avaliação semanal para cada semana que estude conosco – Descarregue uma amostra de uma folha de avaliação semanal preenchida.
  • Fale com os professores! Mostre-se ativo! Negoceie, pergunte e sugira. O nosso sistema baseia-se nas negociações e na planificação em função das suas necessidades. É muito importante que comunique com os seus professores para que possam planificar as aulas para si. Quanto mais informação nos der, mais fácil nos será satisfazer as suas necessidades. Porém, lembre-se de que há uma diferença entre o que quer e o que necessita e, por isso, recomendamos que se familiarize com as afirmações sobre o que «pode fazer».

À medida que os professores vão conhecendo o aluno, irão adaptando as aulas. Lembre-se de que há uma diferença entre o que quer estudar e o que precisa de estudar. Tentamos equilibrar os dois fatores.

Isto é o que fazemos

Planificamos para si: na nossa escola não utilizamos livros de texto. Os professores têm uma biblioteca com livros e escolhem o material que lhe será mais adequado. Os professores darão cópias do material que utilizam. Também utilizam muito material da internet, dos jornais, de páginas Web de notícias, etc., para que possa praticar com inglês real. Iremos entregar-lhe uma pasta para que guarde tudo junto.

Realizamos um seguimento dos seus progressos: o tempo médio de que precisa um estudante para passar ao curso seguinte é de dez semanas (200 horas de estudo). Mas isto não é assim para todos os estudantes. Iremos fazer-lhe um teste de fim de nível se acharmos que já está preparado. Talvez esteja no seu nível porque necessita adquirir confiança na expressão oral, mas os seus conhecimentos de gramática são muito bons. Neste caso, os professores podem decidir que passe para o nível seguinte muito rapidamente. Talvez esteja nesse nível porque é o nível que se aplica para começar. Neste caso, permanecerá mais tempo nesse nível. Os professores reúnem-se uma vez por semana para falar dos seus progressos.